Uso abusivo de vitaminas pode levar a problemas de saúde

A expressão “quanto mais, melhor” não funciona quando o assunto é vitamina. Esse tipo de nutriente não pode faltar e nem sobrar no organismo, é necessário ter uma quantidade correta. Neste sentido, exagerar na ingestão de suplementos vitamínicos não vai gerar “mais saúde”, na verdade, eles podem causar prejuízos se ingeridos inadequadamente.

Sergio Maeda, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo (SB EM-SP), explica que a maioria das pessoas não precisa de suplementos por já conseguirem parte das vitaminas em uma alimentação balanceada (contendo frutas, verduras, legumes, carnes etc.).

Um estudo encomendado pelos conselhos de Farmácia e realizado pela consultoria IQVIA mostrou que a procura por colecalciferol (conhecido como vitamina D) aumentou 48,22% no primeiro quadrimestre de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado. Já o ácido ascórbico (vitamina C) aumentou 152,73%, segundo o mesmo levantamento. Os dados levam em conta a procura por todo o país.

Segundo Maeda, pessoas com restrições alimentares, com algum quadro de desnutrição e problemas de absorção de nutrientes devem consultar um médico para saber se precisam repor alguma vitamina, além da dose adequada para isso.

Marise Lazaretti Castro, endocrinologista e professora adjunta na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), explica que, para quem precisa, ingerir suplementos não faz mal desde que seja na dose correta. “Na internet há recomendações de doses perigosas que podem levar a intoxicação”, diz.

A vitamina D e o isolamento social

Maeda e Castro explicam que, diferente dos outros grupos, a vitamina D é obtida principalmente pela exposição solar. Os médicos alertam que diante do isolamento social e do inverno (época em que os raios solares são menos intensos no decorrer do dia), a chance das pessoas terem deficiência deste nutriente é grande.

Assim, caso as pessoas não possam expor braços e pernas ao sol por 10 minutos ao menos três vezes na semana, os suplementos podem ser eficazes para normalizar a quantidade de vitamina no corpo.

Eles alertam que o exagero pode levar a formação de pedras nos rins, perda da função renal e, nos idosos, quadros de confusão mental.

Saiba mais sobre as vitaminas

  • São nutrientes indispensáveis que regulam várias funções do corpo
  • As hidrossolúveis como B, C, são mais difíceis de causar intoxicação porque não se acumulam tanto no organismo
  • As lipossolúveis como A, E, D e K são depositadas na gordura e acumulam
  • A maioria são obtidas pela alimentação balanceada (com frutas, verduras, carnes, ovos e leite, por exemplo)
  • Níveis adequados de vitaminas fortalecem a saúde do corpo e o deixa mais preparado para enfrentar doenças

Como elas são medidas?

  • Por meio de exames de sangue específicos
  • Assim, o médico saberá o que falta e a dose correta para normalizar

Não exagere

  • A lógica de “quanto mais melhor” não funciona aqui
  • O corpo precisa apenas de uma quantidade mínima destes nutrientes
  • A falta e o excesso são prejudiciais ao organismo

Vitamina A

  • Importante para o desenvolvimento adequado de várias funções do corpo, principalmente às relacionadas aos olhos
  • O que a falta faz? Causa problemas na visão a visão, levando até a cegueira
  • Como obter? Vem dos carotenos, alimentos amarelos e alaranjados como cenoura e mamão

O complexo B

  • É formado pelas vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9 e B12
  • Elas têm funções variadas no organismo e são fundamentais para a saúde
  • O que a falta faz? Os efeitos são variados dependendo da vitamina. A B6 altera o sistema nervoso central, já a ausência da B12 pode causar de anemia
  • Como obter? Pela ingestão de alimentos de origem animal e vegetal como carnes, leite e derivados e cereais integrais

Vitamina C

  • Ajuda na formação do colágeno, proteína presente em vários tecidos do corpo
  • Na cicatrização de feridas
  • No fortalecimento do sistema imunológico no combate de vírus e bactérias
  • Atenção: Tomar mais do que o necessário não vai aumentar a imunidade. Ao atingir um determinado nível, ele não trará benefícios extras.
  • O que a falta faz? Causa escorbuto, um sangramento nas gengivas
  • O que o excesso faz? Pode dar quadros de diarreia e pedras nos rins
  • Como obter? Em alimentos cítricos como limão, laranja e acerola

Vitamina D

  • Apesar do nome, ela é um hormônio que atua na saúde óssea e muscular
  • Também é importante para a imunidade, auxiliando na defesa contra infecções respiratórias
  • Não houve tempo suficiente para aplicar estudos que comprovem sua eficácia contra a Covid-19, causada por um novo vírus
  • O que a falta faz? Dor óssea, fratura e fraqueza muscular. Nas crianças causa raquitismo (enfraquecimento dos ossos) e nos adultos osteomalácia (amolecimento dos ossos) e osteoporose (diminuição da densidade dos ossos)
  • O que o excesso faz? O nível de cálcio no sangue aumenta, o que pode levar a formação de pedras nos rins, perda da função renal e, nos idosos, pode haver quadros de confusão mental, desidratação e até coma.
  • Como obter? Principalmente pela exposição solar
    • ​Lembre que a mesma radiação que metaboliza a vitamina causa câncer de pele
    • Para se expor é preciso proteger o rosto, cabeça e pescoço
    • Exponha braços e pernas sem protetor solar entre 5 e 7 minutos para peles com tons mais claros e entre 10 e 15 para peles com tons mais escuros
    • A exposição é mais efetiva entre 10h e 14h e deve ocorrer pelo menos três vezes por semana
    • A pele não pode ficar vermelha neste período, pois isso mostra que houve queimadura solar
    • Depois, utilize o protetor solar

Vitamina E

  • Tem ação antioxidante, evitando danos às células do corpo.
  • É um importante mecanismo de defesa
  • Como obter? Em folhas verdes, na gema de ovo e nos óleos vegetais

Vitamina K

  • Atua principalmente na coagulação do sangue
  • O que a falta faz? Diante de problemas na coagulação, pode levar a hemorragias
  • Como obter? Principalmente por vegetais de folhas verdes como espinafre, brócolis e couve

OS SUPLEMENTOS

  • Há suplementos específicos para cada tipo de vitamina
  • Há suplementos que combinam várias vitaminas e sais minerais
  • Em geral, cada comprimido contém a quantidade diária mínima
  • A maior partes destes nutrientes já é suprida pela alimentação adequada
  • A maioria das pessoas não precisa de suplementação de vitaminas

QUEM PODE PRECISAR REPOR VITAMINAS

  • É necessário uma avaliação médica para para indicar o uso adequado de vitaminas
  • Pessoas com restrições alimentares
  • Como quem não come um grupo alimentício ou faça dietas restritivas
  • Pessoas com alguma doença que prejudique a absorção de nutrientes
  • Quem tem algum quadro de desnutrição
  • Quem tenha feito cirurgia bariátrica

A falta de sol

  • Com o inverno e o isolamento social exigido pela pandemia, pode ser que algumas pessoas tenham níveis baixos de vitamina D no organismo
  • Quem não pega sol pode considerar ingerir doses seguras do suplemento para vitamina D
  • O ideal é consultar um médico antes para ter uma avaliação e saber a quantidade correta

FONTES

Marise Lazaretti Castro, endocrinologista e professora adjunta na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo)

Sergio Maeda, endocrinologista e presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo (SBEM-SP)

Ministério da Saúde

Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Roda pé
%d blogueiros gostam disto: