Raposa esperta: José Agripino e a tréplica no rosalbismo

O senador José Agripino é, sem dúvida, uma das personalidades políticas mais habilidosas da política potiguar.

Conhecedor dos meandros da política, sabe que um dos ativos mais valiosos da política é a vaidade. E jogou com ela no tabuleiro que vai resultar no anúncio do PP à candidatura de Carlos Eduardo Alves.

Ao reduzir o Rosalbismo a uma expressão de pouca valia, ao negar a legenda para o grupo disputar a reeleição ao governo em 2014, Agripino semeou, especialmente em Ravengar, a vingança.

Quatro anos depois, os rosalbistas viram a oportunidade de dar o troco e foram para a negociação com Carlos Eduardo fazendo concessões, sendo uma delas a exigência de ver o senador sem o mandato renovado.

Ciente dos elementos do jogo, Agripino lançou mão daquilo de que dispunha.

Com uma candidatura à reeleição difícil, ele recuou de seu projeto e anunciou o projeto à Câmara dos Deputados, fazendo o Rosalbismo supor que a exigência que eles impunham estavam sendo atendida.

Apresentou-se como mártir à chapa de Carlos Eduardo, pois conta que se sacrificou em nome do projeto de todos.

Mas o senador é tão raposa política quanto o Ravengar.

A bem da verdade, ele dá a tréplica no grupo da prefeita de Mossoró, pois sua candidatura à Câmara dos Deputados ameaça uma das principais concessões feitas pelo Rosalbismo para apoiar Carlos Eduardo, qual seja, a reeleição de Beto Rosado.

O Rosalbismo corre o risco, na jogada que fez movida pela vaidade de vingança, de se ver sem represetação na Câmara dos Deputados e ainda assistindo Agripino sair vitorioso.

Mais uma vez tenho dito

 

BLOG DO BG

Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Roda pé
%d blogueiros gostam disto: