Pressão nas UPAs no RN cai, revela monitoramento de pesquisadores da UFRN

Após as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do RN chegarem a registrar índice de operação 220% acima da capacidade projetada para a Covid-19, a pressão nessas unidades diminuiu nos últimos dias.
A informação é fruto de avaliação das demandas por solicitações de regulação que partem das UPAs do RN feita pela equipe de pesquisadores da UFRN, coordenada pelo professor José Dias. De acordo com a avaliação, essa queda na pressão das UPAs deve refletir na diminuição nos internamentos e demandas por leitos de UTI e UCI nos próximos dias.
De acordo com os dados, o pico na taxa de solicitações diárias nas UPAs foi registrado em 21 de junho. De acordo com o registrado no último sábado (27), esse número caiu bruscamente, com o semelhante ao registrado em maio.
Os pesquisadores chamam atenção para que este indicador de solicitações nas UPAS (de redução) seja acompanhado com a taxa de ocupação de leitos de UTI e a taxa de transmissibilidade R(t) nos próximos dias. De acordo com a equipe, essa combinação aponta o verdadeiro entendimento de qual nível de controle está a epidemia no Estado do Rio Grande do Norte.
Créditos: DivulgaçãoTotal Diário de Solicitações nas UPAs do RNTotal Diário de Solicitações nas UPAs do RN
Leitos
No Rio Grande do Norte, de acordo com a plataforma Regula RN, no início da manhã desta segunda-feira (29) apenas 14 leitos públicos críticos (intensivos ou semi-intensivos) estavam disponíveis. Esse contingente equivale a 6,22% dos 225 leitos dessa tipologia criados no RN. Além desses, 185 leitos estão ocupados (82,22%) e outros 26 leitos estão bloqueados (11,56%). No caso dos leitos clínicos, dos 320, 66 leitos estavam disponíveis, 221 ocupados e 33 bloqueados.
Ainda de acordo a plataforma, 37 pacientes em estado grave permanecem na fila de espera por um leito crítico. Eles estão internados em unidades municipais, em leitos que não são adequados para a gravidade da doença. Outros 42 pessoas esperam leitos clínicos e 24 pacientes estavam regulados esperando transporte. O tempo médio de transferência está em 9 horas e 40 minutos.
Na Região Metropolitana de Natal a taxa de ocupação de leitos críticos era de 95,5%; no Oeste, 98,2% e no Seridó, 72,4%. Nove unidades de saúde estão com a totalidade dos seus leitos críticos ocupados. Apenas os hospitais Dr. Luiz Antônio (95%), Tarcísio Maia (95%), Hospital Regional de Caicó (72,41%) e Hospital Colônia João Machado (60%) registraram leitos críticos disponíveis para regulação.
Os dados da Sala de Situação do sistema Regula RN são atualizados a cada cinco minutos.
Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Roda pé
%d blogueiros gostam disto: