Médico conhecido como “Dr. Bumbum” é preso após morte de cliente no Rio

O médico Denis César Barros Furtado, conhecido como “Doutor Bumbum”, foi preso nesta quinta-feira (19) no Rio de Janeiro. Furtado foi detido dentro de um centro empresarial na Barra da Tijuca (zona oeste) –onde se localiza o escritório de seu advogado– por policiais do 31º BPM (Barra da Tijuca) após receberem informações do Disque-Denúncia, segundo a assessoria de imprensa da PM. A mãe dele, Maria de Fátima Barros Furtado, 66, também foi detida juntamente com Denis.

“A Polícia Militar conseguiu encontrá-los no escritório do advogado [no centro comercial da Barra da Tijuca]”, disse a delegada Adriana Belém a repórteres na porta da delegacia. Às 16h15, ambos chegaram à 16ª DP, delegacia responsável pelo caso que também se localiza na Barra da Tijuca. A delegada disse que eles devem prestar depoimento ainda hoje.

Furtado e sua mãe são investigados pela morte da bancária Lilian Calixto, que faleceu na madrugada de domingo (15) após ter sido submetida a um procedimento estético realizado no apartamento do médico, na Barra da Tijuca. Os dois tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça e foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa.

“Entendemos que a morte não adveio de uma imprudência. Quando você se arrisca [em fazer] um procedimento com uma pessoa, naquelas condições, nós entendemos que é um homicídio doloso [quando há intenção de matar], e não culposo”, afirmou Adriana Belém.

As principais dúvidas a serem esclarecidas pela polícia são relativas ao exercício das atividades do médico, que teve seu registro cassado hoje pelo Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal.

“[Vamos ouvir] Como se dava aquela atividade, se havia autorização, se não havia, como se deu a morte da dona Lilian, por que ele, em vez de ficar no hospital, saiu. Quer dizer, as perguntas que todo mundo se faz nesse momento”, informou a delegada.

Ainda de acordo com a titular da 16ª DP, o laudo da necropsia da bancária ainda não está pronto.

A delegada informou que a rendição já estava sendo negociada para as 16h de hoje, mas que a PM os localizaram antes. “O importante é salientar que a segurança pública é que ganha”, disse.

Em entrevista coletiva concedida a jornalistas na tarde desta quarta em Brasília, a advogada Naiara Baldanza voltou a dizer que julgar Furtado como culpado pela “fatalidade” ocorrida com a paciente é “precoce”. Segundo ela, o médico ainda não havia se entregado à polícia por problemas de saúde.

“Ele está sofrendo um grande impacto emocional, ele começou a desenvolver uma síndrome do pânico. Então há um motivo pelo qual existe uma dificuldade, nesse momento, para que ele se apresente, e não é o motivo de obstaculizar o trabalho da Justiça”, afirmou a advogada.

A advogada disse ainda que existem “muitas pessoas satisfeitas” com o trabalho realizado pelo médico, mas que “lamentavelmente, dentro de qualquer profissão, sempre vão existir pessoas em que situações não acontecem como o previsto”.

Segundo ela, Lilian não apresentou “nenhum tipo de complicação durante o procedimento estético” e que Furtado a acompanhou até o hospital após receber uma ligação telefônica dela, quando a bancária já se encontrava no hotel onde estava hospedada. Lilian morava em Cuiabá e foi ao Rio de Janeiro apenas para a realização do procedimento estético nos glúteos.

Nesta quinta, o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) cassou a licença de exercício profissional do médico. Em nota, a entidade disse que ele foi alvo de um processo de interdição cautelar para o exercício da profissão em março de 2016. No entanto, segundo a entidade, a medida foi suspensa três meses depois pela Justiça Federal, em Brasília.

Ainda de acordo com o conselho, o processo foi concluído com a cassação do exercício profissional de Furtado, que será submetida ao CFM (Conselho Federal de Medicina). O motivo que levou à cassação do registro não foi esclarecido.

Furtado tem registro em Goiás e em Brasília e não poderia atuar profissionalmente no Rio sem autorização do Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro), que informou que vai investigar o caso.

Namorada de médico vai para presídio de Benfica

A namorada do médico foi transferida na quarta para uma unidade do presídio de Benfica, na zona norte carioca. Renata Fernandes, 20, estava detida desde domingo na 16º DP (Barra da Tijuca), suspeita de envolvimento no procedimento estético.

Renata aparece nas imagens de circuito interno do hospital dando entrada na unidade com a paciente, o médico e a mãe dele, apontada como auxiliar de Denis.

De acordo com a advogada dela, Valéria Vieira, a transferência ocorre devido à expiração do prazo de permanência na delegacia (chamado de lapso temporal). A defesa aguarda julgamento de habeas corpus.

A advogada nega ainda que Renata tenha participado do procedimento. Valéria diz que a jovem atuava apenas como recepcionista da clínica, que funcionava no Shopping  Downtown, também na Barra da Tijuca. No entanto, segundo a polícia, o trabalho de Renata não se resumia apenas em marcação de consultas.

Um milhão de seguidores

Com diversas contas em redes sociais para divulgação do trabalho estético, Furtado é seguido por quase um milhão de internautas. Apenas no Instagram e no Facebook são 700 mil seguidores. O médico diz que já fez mais de 5 mil procedimentos estéticos, “em mais de 15 anos de bioplastia”.

Ele se apresenta como médico, pós-graduado em dermatologia pelo Instituto Brasileiro de Ensino (Isbrae), modulação hormonal pela Brasil-American Academy for Integrative e Regenerative Medicine (Barm), medicina estética, nutrologia e ortomolecular.

No Facebook, há ainda muitos ataques de internautas na página do médico rechaçando os procedimentos realizados.

Reprodução / Facebook

O médico Denis César Barros Furtado se apresentava nas redes sociais como “Doutor Bumbum”

Oito passagens pela polícia

Segundo o 16ª DP, o médico tem oito passagens criminais, uma delas por homicídio em 1997, além de porte ilegal de arma, crime contra administração pública, exercício arbitrário das próprias razões, ameaça, duas por resistência à prisão e violação de domicílio.

Uma pesquisa feita no site do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro mostra que o médico é réu em ao menos 15 ações de Varas Cíveis no Rio de Janeiro –a maioria por problemas imobiliários.

O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro abriu uma sindicância para apurar o caso. Denis Furtado tem registro em Goiás e em Brasília e não poderia atuar profissionalmente no Rio sem autorização do Cremerj.

De acordo com o presidente do órgão, Nelson Nahon, Denis responde a um processo ético no Conselho Regional de Brasília. A mãe dele teve o CRM cassado em 2015 no Rio de Janeiro devido à prática frequente de propaganda enganosa –divulgação de utilização de métodos com resultados não reconhecidos pela medicina.

“Sobre a mãe, ela já teve a pena máxima no que diz respeito à atuação do Cremerj. Mandamos inclusive uma notificação para a Polícia Federal. Sobre o filho, solicitamos documentação do hospital onde a paciente foi atendida, da delegacia que informou que apreendeu farto material de cirurgia no apartamento e vamos encaminhar para Brasília pra ser julgado pelo Conselho”, disse o presidente do Cremerj, que reiterou a abertura de uma sindicância para acompanhar o caso.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Roda pé
%d blogueiros gostam disto: