Marina, o Maestro e as canções do Rei

Um piano branco uniu Marina Elali a Eduardo Lages. A história curiosa eles contam em meio ao ensaio no estúdio Megafone. A dupla montou base na capital potiguar para a cantora iniciar seus exames pré-natal

Ramon Ribeiro

Repórter do Viver

Duas gerações diferentes celebrando a obra de um artista atemporal. É isso o que acontece no show “Sucessos do Rei”, que marca o encontro da cantora Marina Elali e do maestro e pianista Eduardo Lages em torno da música de Roberto Carlos. A turnê nacional do espetáculo estreou em outubro do ano passado e agora em janeiro chega ao Nordeste com apresentações nos dias 24, em Recife, 25, em Fortaleza, e 26, em Natal (no Teatro Riachuelo).
Para fazer bonito na turnê a dupla montou base na capital potiguar, lugar escolhido para os ensaios. O VIVER encontrou dos dois artistas no Estúdio Megafone para uma entrevista. Além de entrosamento, a dupla mostrou muito bom humor nas respostas. “No início da minha carreira eu tocava na igreja. Lá tinha um órgão, um órgão muito bonito, Hammond, dificílimo de encontrar hoje. E além de tocar na igreja eu tocava na zona [área de cabarés, para os leigos]. E lá tinha um piano muito bonito também. Então eu carrego sempre comigo isso de igreja e zona. Foi uma época maravilhosa da minha vida”, conta sorridente o carioca Eduardo Lages – mais conhecido como “O Maestro do Rei”, por comandar há mais de 40 anos a banda que acompanha Roberto Carlos.

O formato do show é piano e voz, com repertório que passeia por canções consagradas como “Olha”, “Amor perfeito”, “Como vai você”, “É preciso saber viver”, “Como é grande o meu amor por você”, “À distância”, “Detalhes”, “Olha”, “O calhambeque”, “Esqueça”, “Se você pensa”, “Jesus Cristo”, “Vista a roupa meu bem”, “Nossa Senhora”, entre outras que vão surpreender a plateia.

“A repercussão tem sido maravilhosa. As pessoas tem se emocionado, principalmente na parte final. É curioso como um show só piano e voz consegue envolver tanto a plateia. Talvez a intimidade de ser só duas pessoas no palco provoque as pessoas para interagir mais. Porque as pessoas tem cantado junto com a gente”, comenta Eduardo. “Claro que temos o respaldo de estar representando o Roberto Carlos. É uma grande responsabilidade, mas também facilita as coisas”.

Marina conta que a dupla está cada vez mais gostando do show, o que tem propiciado mais entrosamento no palco. Para a apresentação no Nordeste eles não procuraram mudar nada no repertório, só afinar a sintonia. “A única diferença é que estarei na minha terrinha, ao lado da minha família, dos meus primeiros fãs. É sempre muito especial cantar em Natal, ainda mais acompanhado do maestro, um dos maiores músicos do nosso país, um cara que num dia toca com Roberto Carlos e no outro toca comigo. Eu me sinto muito honrada de poder contar com ele”, diz a cantora potiguar. “Ano passado fizemos show em Niterói, que é a cidade do Eduardo. A apresentação foi no Teatro Municipal. Show lindo, casa lotada. Agora estou na minha terra”.

Sobre a escolha por Natal como lugar dos ensaios, Marina explica com sorriso no rosto: “Estou grávida. Quatro meses. Não moro em Natal faz muitos anos, mas todos os meus médicos são daqui e a minha família também, né. Tenho uma bateria de exames para fazer e minha médica recomendou não viajar muito. Então combinamos de ficar em Natal. Acredito que o Eduardo está feliz com a ideia”, conta a cantora apontando para o maestro.

“Já reclamei do mar, da vista do hotel, da água-de-coco, da comida. Senti falta de nuvens no céu porque estava muito azul. Num estou gostando não”, ironiza o músico, que desde jovem visita a cidade. “Sou apaixonado por Natal”. A turnê Nordeste também vai servir para a gravação do DVD do projeto. O registro será no show em Recife e a produção é da  Globo Nordeste. Segundo Marina, os ensaios principais para a gravação do DVD serão em Pirangi. “De frente para o mar que é pra deixar a gente bem inspirado”, afirma a potiguar.

Eduardo Lages tem uma história de mais de 40 anos como maestro de Roberto Carlos. Ou seja, ele é uma das pessoas mais qualificadas para tocar o repertório do Rei. Mas ele também tem uma carreira solo. Já gravou seis discos, além de ter feito shows ao lado de outros artistas.

Já Marina traz a admiração por Roberto Carlos desde o tempo de criança. “Minha mãe é uma grande fã. Lembro que pequenininha eu ia nos shows dele e ficava emocionada. Eu sempre gostei de música romântica”, confessa. “No meu primeiro disco gravei uma música do Roberto com Erasmo, ‘Você’. Foi uma alegria imensa ele ter me autorizado gravar. E a música acabou sendo tema de ‘América’. Foi meu primeiro tema de novela”. Hoje Marina já soma 21 participações em trilhas sonoras de novela.

A potiguar diz que sempre quis fazer algum projeto em cima da obra do Roberto. Mas tinha dificuldade em definir um formato adequado. Foi aí que apareceu o Maestro. “Fazer o show com o Eduardo pra mim fez todo o sentido. Porque eu teria a oportunidade de cantar as músicas na forma que elas são tocadas nos shows do Roberto”, explica a cantora.

Para montar o repertório não houve dificuldade, conta o Maestro. “Gostamos do mesmo tipo de música. Música Romântica. Ela cantando e eu, tocando. E somos fãs do Roberto Carlos. Além de sermos amigos dele”, diz Eduardo, satisfeito com a parceria “A Marina hoje é uma filha querida”.

Marina e Eduardo se conheceram quando foram jurados do programa de calouros de Raul Gil. “Foram seis meses. A gente pegava avião juntos, saía pra jantar. Conversávamos bastante”, recorda a cantora. Mas no palco, tirando uma participação especial de Marina num concerto de Eduardo, o encontro só se deu mesmo em 2018 com a estreia da turnê de “Sucessos do Rei”.

A potiguar também gosta de lembrar um encontro curioso que teve com Eduardo e que serviu para aproximar ainda mais os dois. “O Eduardo estava gravando um disco novo. Os produtores queriam um piano branco, pra fazer fotos. E eu adoro branco. Tenho um piano branco na sala de casa, onde componho meus temas de novela. A Som Livre me ligou, que é a gravadora do Eduardo e a minha. ‘Podemos ir ai na sua casa fazer umas fotos no seu piano branco?’. Foi um momento que aproximou a gente. Tenho a alegria de dizer que as fotos dele foram na minha casa”, conta Marina. “Existem casamentos que acontecem artisticamente. Tive a sorte de conviver muito tempo com o Lincoln Olivetti. Mas depois que o Lincoln nos deixou, eu precisava de outra pessoa para sentir essa conexão artística. E ai apareceu o Eduardo. Nem imaginava que a gente fosse se dar tão bem, pessoalmente e profissionalmente. O maestro tem uma sensibilidade para acompanhar o cantor que poucos músicos tem. Ele sabe ouvir a respiração do artista, assim como era o Lincoln. Por isso que o Roberto não larga ele há mais de 40 anos”.

Serviço
Show “Sucessos do Rei”, de Marina Elali e Maestro Eduardo Lages

Dia 26 de janeiro, às 20h

Teatro Riachuelo

Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia).

Tribuna do Norte
Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 3 =

%d blogueiros gostam disto: