Governo recua e decide renovar aluguel de hospital

O Governo do Estado confirmou em nota, na tarde desta segunda-feira, 10, que vai recuar da decisão de entregar o prédio do Hospital Ruy Pereira, em Petrópolis e decide renovar o aluguel “pelo período que for necessário”. O contrato de aluguel se encerra no próximo dia 31 de agosto e a Secretaria Estadual de Saúde, em resposta a questionamento da Procuradoria Geral do Estado (PGE), havia informado em documento que não tinha interesse na prorrogação.

Um relatório de vistoria técnica realizado pelo Serviço Técnico de Engenharia (Serten), do Corpo de Bombeiros, em 25 de março de 2014, constatou irregularidades estruturais no Hospital Dr. Ruy Pereira dos Santos. O parecer dos técnicos foi pela adoção de medidas corretivas das desconformidades, por riscos de “prejuízos humanos e materiais”. O relatório está dentro do processo nº 018277/2013, do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O recuo ocorre após uma série de matérias publicadas pela TRIBUNA DO NORTE sobre a falta de planejamento do Estado na condução da mudança da estrutura e dos leitos do hospital.  A unidade hospitalar tem 80 leitos de enfermaria, 10 leitos de UTI e é referência no atendimento de doença vascular. Segundo o comunicado, serão realizados ‘novos laudos de avaliação das condições estruturais para o funcionamento no prédio onde está instalada a unidade de saúde’.

A decisão de prorrogar o aluguel do prédio foi tomada durante reunião ocorrida na manhã desta segunda-feira entre o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, e o secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli.

“O Governo do Estado reuniu nesta segunda-feira, 10, o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, o secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, e técnicos da pasta, e tomou a decisão de manter as atividades do Hospital Ruy Pereira. Ficou definido que será renovado o contrato de aluguel pelo período que for necessário e serão realizados novos laudos de avaliação das condições estruturais para o funcionamento no prédio onde está instalada a unidade de saúde. Também ficou definido que as medidas a serem tomadas serão discutidas previamente com a sociedade e com órgãos de fiscalização e controle. O objetivo do Governo do Estado é, além de manter as atividades do Hospital Ruy Pereira, melhorar e ampliar os serviços prestados com ganho de qualidade e quantidade”, diz a  nota enviada à imprensa.

O vice-diretor do Hospital Ruy Pereira, Graciliano Sena, explicou  que a estrutura do hospital é antiga, com cerca de 30 anos de existência. O mobiliário médico-hospitalar é novo, mas a estrutura do imóvel apresenta problemas. “Como vive permanentemente ocupado, fica difícil de fazer isso. Serviços que surgem já foram contratados para resolver problemas que ocorrem, mas para ocorrer uma reforma toda precisa pensar em uma estratégia para que isso ocorra”, disse o vice-diretor.

 O vice-diretor ressaltou que as atividades, em nenhum momento, foram interrompidas e que o hospital não recebeu nenhuma deliberação da Secretaria Estadual de Saúde para encerrar as atividades. O atual perfil assistencial do Hospital Ruy Pereira é de pacientes com diabetes e afecções decorrentes da doenças, como vasculopatias e arteriopatias.

Memória 
A notícia do fechamento do Hospital Ruy Pereira foi anunciada no início da semana passada sob a justificativa de “reordenar o fluxo de atendimento aos pacientes vasculares de uma forma generalizada e qualificada, mantendo a quantidade de procedimentos realizados e garantindo os leitos de retaguarda clínica”, afirmou nota da assessoria da Sesap dia 04 último.

O Ruy Pereira conta com 80 leitos clínicos de enfermaria e 10 leitos de UTI. Desde o mês de fevereiro passou a concentrar o atendimento de pessoas em tratamento para problemas vasculares como o “pé diabético”.

Inicialmente, a Sesap anunciou a transferência de leitos do Ruy Pereira para os outros hospitais da rede para absorver a demanda da unidade, com a possibilidade de encerramento do contrato de aluguel do prédio. A ideia seria distribuir leitos, pacientes e equipes entre os hospitais da Polícia Militar (Coronel Pedro Germano), Giselda Trigueiro e João Machado.

A Secretaria alega que o imóvel apresenta problemas estruturais, e também já manifestou que não há interesse em renovar o contrato de locação – no valor de R$ 200 mil mensais – que se encerra no próximo dia 31 de agosto; a proposta é distribuir os 90 leitos (sendo 10 de UTI) para outras unidades da rede.

Raio-x – Hospital Ruy Pereira 
80 leitos de enfermaria;

10 leitos de UTI

75 pacientes estavam internados nesta segunda-feira;

4.006,02 de área construída;

R$ 203 mil é o valor pago em aluguel, mensalmente.

Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + dezenove =

%d blogueiros gostam disto: