Finalização da iluminação do acesso sul ao aeroporto é adiada

Via de acesso ao Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, o chamado acesso sul tornou-se também uma opção perigosa para quem percorre o local à noite.  Com iluminação parcial em apenas 8km dos 12 km que compõem a estrada, a previsão de entrega da implementação de luzes para abril foi adiada para junho. A informação é do diretor do Departamento de Estra das e Rodagens (DER), Manoel Marques. A implementação está sendo feita pela  EIT – Empresa Industrial Técnica S.A.

O atraso, segundo o diretor do DER, ocorreu porque a empresa responsável pediu mais prazo, em função da falta de aquisição de equipamentos. “O DER também aguarda liberações da rede de energia pela Cosern (Companhia Energética do Rio Grande do Norte), para enviar medições para a Caixa Econômica e ter dinheiro liberado”, disse Manoel Marques. Antes de serem reiniciadas, em fevereiro, obras de implementação estavam aguardando a abertura do orçamento para começarem.

O contrato com a EIT, responsável pela obra, foi prorrogado por mais um ano para a construção do viaduto, em setembro do ano passado. A autorização para construção do acesso Sul ocorreu em 2013, mas a obra começou efetivamente há um ano. O viaduto sobre a BR-304, deverá custar em torno de R$ 9 milhões, com suas alças e acessos.

Partindo do viaduto de Capim Macio, na BR-101, quando comparado com a mesma saída indo pela zona Norte, o caminho mais “viável” é o acesso Sul, que leva cerca de 15 minutos a menos do que o acesso pela zona Norte. Para chegar até o aeroporto por esse caminho, a reportagem da Tribuna do Norte levou 30 minutos, quando fez o percurso, sem cortar nenhum semáforo ou ultrapassar a velocidade permitida. Foram 21 km e dois sinais de trânsito no caminho. Apenas duas placas na saída de Macaíba indicavam que o acesso Sul levava ao aeroporto.

  Voltando pela zona Norte, partindo do aeroporto em São Gonçalo do Amarante, a reportagem contou 21 semáforos entre a avenida Tomaz Landim, passando pela avenida Bernardo Vieira e indo pela avenida Senador Salgado Filho, até retornar ao viaduto de Capim Macio. Foram 27 quilômetros percorridos em 45 minutos. Cada sinal de trânsito demorou em média 2 minutos e 30 segundos para abrir. A maior dificuldade do percurso é o tráfego intenso de veículos.
Terminal em São Gonçalo do Amarante tem dois acessos
 
Acesso Sul
O acesso sul liga a BR-304 ao terminal internacional em São Gonçalo. Inicialmente, a obra foi orçada em R$ 76 milhões (somados acesso Norte e Sul), mas como demorou para ser realizada teve que passar por um reajustamento no valor de R$ 18 milhões. As obras foram iniciadas em 2013 na gestão de Rosalba Ciarlini. A previsão era que ambos acessos estariam prontos antes da Copa do Mundo de 2014, mas não foi isso que aconteceu. O fluxo para o aeroporto ficou na dependência precária do acesso Norte. O tráfego só foi melhorado neste acesso um ano e quatro meses depois do mega evento esportivo, quando um viaduto foi inaugurado.

Acesso Norte
O acesso norte liga o primeiro aeroporto integralmente privado do país à BR-304 na altura do município de Macaíba, na área conhecida como Reta Tabajara, a poucos quilômetros da zona Sul de Natal. Corrigidos os valores,  custos das obras giravam em torno de R$ 94 milhões em 2016, segundo informações do DER à Tribuna do Norte na época. Os valores atualizados não foram informados pelo departamento.

Números
12km é total do acesso sul ao aeroporto, sendo considerado o caminho mais viável por ser mais curto e ter menos trânsito.
4km faltam ser concluídos neste trecho, considerado perigoso pela maioria dos motoristas que trafegam pela área.
Tribuna do Norte
Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 4 =

%d blogueiros gostam disto: