Em evento, Marina diz que Bolsonaro tem “muita proposta sem propósito”

A candidata à Presidência da República Marina Silva (Rede) disse nesta sexta-feira (31), ao comentar o início da propaganda eleitoral na TV das eleições 2018, que “tem muita proposta sem propósito” na campanha, referindo-se ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Marina participou de encontro com empresários na Casa da Federação das Indústrias do Rio (Casa Firjan).

Eu vou debater as questões relevantes para o Brasil, não apenas na perspectiva do voto, mas na do que é justo. É inadmissível que alguém diga que não vai demarcar terra indígena. Não se pode ser presidente para governar só para os que têm, os que sabem”, disse a candidata, acompanhada do candidato a deputado federal pela Rede Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo.

Temos que defender os mais frágeis. Tem muita proposta sem propósito; quero associar proposta e propósito. E ser justa para índios, mulheres, negros, empresários, trabalhadores”, afirmou Marina.

A candidata é a segunda colocada em intenções de voto na pesquisa Datafolha, divulgada na semana passada, em um cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Marina figura com 16%, atrás apenas de Bolsonaro, que recebe 22%. Em um cenário com Lula, o petista lidera com 39% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro (19%) e Marina (8%).

Foram ouvidos 8.433 eleitores em 313 municípios brasileiros nos dias 20 e 21. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o nível de confiança é de 95% (o que quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os números conferirem com o momento atual da campanha, considerado esta margem de erro). O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo BR 04023/2018.

Ao comentar o resultado do PIB, divulgado nesta sexta-feira, Marina disse que para fomentar a indústria o Brasil precisa se integrar à cadeia produtiva global. “A indústria já representou mais de 20% do PIB, e hoje está reduzida a algo em torno de 9%. As transformações que estão acontecendo no mundo exigem que a gente pense num novo ciclo de prosperidade”, afirmou a candidata, que defendeu também o aumento das exportações e a diminuição de entraves tarifários. “Temos que nos integrar às cadeias produtivas globais, agregação de valor, e isso requer transição para uma indústria cada vez mais competitiva.”

O PIB cresceu 0,2% no 2º trimestre deste ano, na comparação com os três meses anteriores, divulgou o IBGE, totalizando R$ 1,693 trilhão. O resultado foi sustentado pelo setor de serviços e pressionado pela queda da indústria. “Temos que debater como as novas tecnologias podem ajudar nesse novo ciclo, gerando renda. Vamos trabalhar a reforma tributária, a simplificação dos processos de abrir e fechar empresas. É fundamental para essa transição. Os investimentos já comprometidos terão que passar por essa transição também. Temos grande potencial em relação às commodities agrícolas e de minério, desde que de forma sustentável. Na área de serviços, vamos investir no turismo.”

 

Por Uol

Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Matias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =

%d blogueiros gostam disto: