CVV Natal recebe 2.500 ligações/mês

Buscar ajuda por telefone se tornou gratuito em todo país neste mês de julho. O número do Centro de Valorização da Vida (CVV), o 188, está presente em todos estados e municípios brasileiros para atuar como prevenção ao suicídio. O serviço do CVV, órgão sem fins lucrativos, tem o propósito de escutar qualquer pessoa que passe dificuldades e sinta a necessidade de falar. No Rio Grande do Norte, o 188 existe desde abril, com uma média de 2.500 ligações mensais no posto Natal. As ligações recebidas são de todos os locais do país, durante as 24 horas do dia.

Apesar do serviço 188 ter sido implantado somente em abril no estado, o órgão atua há 36 anos em Natal. Ciro Sampaio, coordenador do CVV Natal e voluntário há seis anos, afirma que os atendimentos sempre foram realizados. Primeiro, de forma presencial. Depois, o telefone fixo, e-mail e chat foram implantados. “O CVV trabalha com o acolhimento, e damos diversas formas para ouvir qualquer pessoa”, explica. “O mais interessante e utilizado acaba sendo o telefone porque o acolhimento é maior, e aquela pessoa não precisa se identificar, sabe do sigilo que existe”.

O perfil das pessoas que utilizam o serviço, ainda segundo Ciro, são pessoas que declaram não ter com quem conversar, seja sobre angústias ou até mesmo momentos de felicidade. “Quem liga, na maioria das vezes, são pessoas que estão lidando com as perdas, dificuldades e estão em situação de isolamento social”, diz o voluntário, que também é psicólogo. “A situação de isolamento é tão grande que eu já atendi casos de pessoas que ligaram para compartilhar que passaram no vestibular, momento de felicidade, porque não tinham para quem falar”.

A média das ligações mostram que quatro pessoas a cada 100 que ligam para o 188 declaram estar a ponto de cometer suicídio. O músico Marcelo Pereira, 57 anos, voluntário em Natal desde a formação do posto, afirma que as pessoas que estão nessa situação declaram desistir do ato, no término da ligação. “Já me falaram: ‘eu estava a ponto de me matar com uma arma, mas agora me arrependi’”, conta. “Ouvir, sem julgamento, com a intenção de acolher é muito importante”.

O ato de escutar, principal forma de acolhimento do CVV, é avaliado como um dos principais métodos para prevenir o suicídio. “Quando você escuta uma pessoa falar, sem julgamento e com a intenção de acolher, aquela pessoa vai se sentir pertencida, você salva a pessoa”, explica a psicóloga e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Elza Dutra.

A linguagem, de acordo com Dutra, é um elemento que gera a reflexão. Quando é manifestada por meio da fala, tem potencial de mudar as impressões e pensamentos de quem está falando. “É na linguagem que se revela o sentido do ser. Quando você fala, você vai buscar o sentido da sua fala”, afirma. “Você vai pensar: ‘o que eu estou dizendo, tem sentido para mim?’. Só em você se ouvir e a outra pessoa até repetir, ou refletir o que você está dizendo, leva você a pensar, no sentido de se experienciar”.

Em Natal, 36 voluntários trabalham no CVV no papel de garantir o acolhimento, em plantões de quatro horas semanais. O único pré-requisito é ter mais de 18 anos, abertura para o outro e tempo para os plantões. Antes de se tornarem voluntários, eles são treinados por cerca de três meses para aprender a escutar sem julgamentos os diversos tipos de caso relatados.

Também há um grupo de apoio para o voluntário, que se reúne mensalmente. “Existem situações em que as ligações são densas, nos tocam de alguma forma. É por isso que existe esse grupo”, afirma Ciro Sampaio. “No treinamento, têm pessoas que percebem que seria muito afetado e acabaria desistindo. E quem continua sabe que aprender a ouvir é uma atividade diária”, conclui.

Voluntário do CVV
Turma 1: Sábado, 14h às 17h30
Início: 4 de agosto

Turma 2: Terças e quintas, 18 às 21h30
Início: 7 de agosto

Pré-requisitos: Ter no mínimo 18 anos
Disponibilidade de tempo

Local: Sede da CVV Natal
Endereço: Térreo do Instituto de Teologia Pastoral (Itepan), Largo Junqueira Aires, 390, Cidade Alta.

Doações
As doações podem ser feitas por meio de transferências bancárias para:
Grupo de Apoio a Vida

CNPJ: 11.982.626/0001-67

Caixa Econômica Federal

Agência: 0035

Conta: 8711-7 (013)

Prevenção
Sinais de alerta gerais

Falar sobre querer morrer, não ter propósito, se sentir um peso para os outros ou estar preso ou sob dor insuportável;

Uso excessivo de drogas e álcool;

Agir de modo ansioso, agitado ou irresponsável;

Dormir muito pouco;

Isolamento social;

Demonstrar raiva ou falar sobre vingança;

Alterações de humor extremas.

O que fazer
Escute o que a pessoa tem a dizer;

Não deixe a pessoa sozinha;

Tire de perto armas de fogo, álcool, drogas ou objetos cortantes;

Procure canais de ajuda (188 para o telefone do CVV, ou via internet, no site).

 

Tribuna do Norte

Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Terra Potiguar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Roda pé
%d blogueiros gostam disto: