Armas: RN tem maior taxa do Nordeste

Estado tem 179 registros de armas de pessoas físicas para cada grupo de 100 mil habitantes

o Grande do Norte é o Estado do Nordeste que tem, proporcionalmente, a maior quantidade de armas do Nordeste registradas para pessoas físicas. Segundo dados repassados pela Polícia Federal, provenientes do Sistema Nacional de Armas, o RN tem  6.228 registros ativos de pessoas físicas com posse de armas, o que implica – levando em consideração a projeção do IBGE para a população potiguar em 2018, que é de 3,47 milhões de pessoas – que há no Estado 179 registros de posse de armas de pessoas físicas para cada 100 mil habitantes.  Os dados não incluem a quantidade de registros de armas para empresas de segurança privada, os registros para órgãos de segurança pública e outros tipos de registros.

De acordo com a tabela do Sistema Nacional de Armas, o Rio Grande do Norte fica em décimo terceiro lugar, em todo o Brasil, na quantidade de registros para pessoas civis. O primeiro colocado é o Acre, que tem 4,9 mil registros para um população de 869 mil pessoas, totalizando 567 armas para cada 100 mil pessoas. Fecham a lista dos cinco estados nos quais a população mais está armada: o Rio Grande do Sul, com uma taxa de 491 armas; Santa Catarina, com uma taxa de 490 armas; Rondônia, com uma taxa de 446 armas; e o Mato Grosso, com uma taxa de 365 armas. A taxa do Brasil é de 325 armas, com 677 mil registros.

Um dado que chama a atenção é que o RN tem uma das menores quantidades de registros de armas para empresas de segurança privada, à frente de apenas sete estados. Há 3271 registros para a área da segurança privada, quase a metade do que está registrado para pessoas físicas.  São 10,8 mil registros em todas as categorias no RN, segundo a PF.

A nova legislação implementada pelo Governo Federal – que permite a posse de armas para moradores de municípios com taxa de homicídios a partir de 10 assassinatos por 100 mil habitantes – impacta 74,3% dos  municípios do Rio Grande do Norte. Serão impactados pela medida 124 dos 167 municípios. De acordo com dados da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (Coine), vinculado à Secretaria de Segurança do Estado, essas  cidades possuem uma taxa superior a 10 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) por 100 mil habitantes. Os dados são referentes a 2018.

Crescimento

O crescimento do número de pedidos de registros no RN já foi noticiado pela TRIBUNA DO NORTE. Em uma década, o número de armas de fogo registradas pela Polícia Federal no Rio Grande do Norte aumentou 12.312%. O estado saltou dos oito equipamentos consignados em 2006 para 993 uma década depois, com pico de 1.179 registros em 2015. O quantitativo de cidadãos comuns – pessoas físicas – que passaram a possuir uma arma de fogo em casa ou em qualquer outro endereço informado ao órgão federal foi maior, inclusive, que os registros emitidos para empresas de segurança privada, órgãos de Segurança Pública, instituições públicas e lojas do segmento. Em período similar – 2005 a 2015 -, o estado vivenciou uma escalada na violência e se tornou o de maior variação na taxa de homicídios do país, com 232%, segundo Atlas da Violência 2017, publicado pelo Instituto de Pesquisas Aplicadas (IPEA).
Ranking dos estados 

1. Acre 

Armas: 4933
População: 869265
Taxa: 567

2. Rio Grande do Sul
 
Armas: 55737

População: 11329605

Taxa: 491

3. Santa Catarina
 
Armas: 34670

População: 7075494

Taxa: 490

4. Rondônia
 
Armas: 7856

População: 1757589

Taxa: 446

5. Mato Grosso
 
Armas: 12582

População: 3441998

Taxa: 365

13. Rio Grande do Norte
Armas: 6228
População: 3479010

Taxa: 179

Tribuna do Norte
Compartilhe isso:

Recommended For You

About the Author: Editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 4 =

%d blogueiros gostam disto: